cirurgia do meniscoA cirurgia indicada no tratamento da maioria das lesões dos meniscos do joelho é realizada pela técnica de artroscopia. Esta cirurgia é feita por meio de uma microcâmera, acoplada a um cabo de luz, que é introduzida dentro da articulação do joelho através de 2 pequenos “furos”. Essa microcâmera transmite as imagens de dentro do joelho para uma tela de TV na qual o cirurgião visualiza o tipo da lesão do menisco, além de toda a articulação.

A cirurgia para a lesão dos meniscos pode ser agrupada em 4 tipos: meniscectomia parcial, sutura do menisco, transplante do menisco e prótese do menisco.

A meniscectomia parcial é realizada por artroscopia e indicada para as lesões do menisco que ocorrem na parte sem vascularização, ou seja, que não possuem capacidade de cicatrização. Nesta cirurgia é realizado um recorte da parte lesionada ou rasgada do menisco e que era a causa da dor do paciente. O paciente recebe alta do hospital no mesmo dia, já inicia a reabilitação com fisioterapia e a marcha com auxílio de muletas ou apenas uma bengala por poucos dias. O tempo total de recuperação e retorno aos esportes varia de 45 a 90 dias.

A sutura do menisco é realizada por artroscopia e indicada quando há lesão na região periférica ou “vascularizada” do menisco, pois há a possibilidade de cicatrização devido a irrigação sanguínea desta região. Na cirurgia, é realizada uma “costura” do menisco que pode ser feita com fios resistentes ou aparelhos especialmente desenvolvidos para a uma sutura estável com uma técnica simples e rápida. Após a cirurgia, são permitidas a fisioterapia com algumas restrições da movimentação do joelho e também a marcha com auxílio de muletas por 6 semanas. O tempo total de recuperação varia de 3 a 6 meses para o retorno aos esportes, lembrando que muitas das suturas do menisco são realizadas ao mesmo tempo da reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA). Com isso, o momento do retorno ao esporte está diretamente relacionado à cirurgia do LCA que fica entre 6 e 9 meses.

O transplante do menisco é uma técnica nova ainda no Brasil, e é realizado pela cirurgia convencional (aberta). É indicado para pacientes jovens que foram submetidos previamente a uma meniscectomia total e que apresentam sintomas de dor contínua no joelho operado. No lugar do menisco do paciente, é colocado um menisco de banco de tecidos que deve ser suturado ou fixado na articulação. Nesta cirurgia, devem ser feitos exames pré-operatórios detalhados como radiografias, tomografia computadorizada e ressonância nuclear magnética, além de uma radiografia panorâmica dos membros inferiores. Eles servem para avaliar a real indicação do transplante e também para avaliar as medidas do tamanho do menisco a ser transplantado. Essa técnica pode ser associada à cirurgia de osteotomia do joelho, quando é realizado um realinhamento do eixo do joelho para proteção do transplante.

Já a prótese do menisco ainda não está disponível no Brasil, mas estudos internacionais mostram resultados animadores com uma prótese de colágeno indicada nos casos de meniscectomia parcial. Estas pesquisas vislumbram a possibilidade do uso deste tipo de prótese no futuro em mais pacientes, inclusive no Brasil.

Em resumo, a maior parte das lesões dos meniscos do joelho tem indicação da cirurgia chamada artroscopia. O médico ortopedista especialista em joelho deve orientar os pacientes sobre a técnica e as respectivas indicações de meniscectomia parcial ou sutura do menisco, bem como seus resultados e retorno às atividades esportivas e ao trabalho.