ligamento cruzado anteriorA lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) é uma das mais frequentes no joelho e tem sido muito estudada devido a grande perda funcional e a instabilidade articular que causa ao paciente e principalmente ao atleta, dificultando muito o dia a dia e a participação nos esportes.

O ligamento cruzado anterior (LCA) é o ligamento mais importante do joelho e tem o papel principal de dar estabilidade anterior e rotacional (“giros”) do joelho, evitando assim que o joelho vá para frente e rode demais.

O LCA é subdividido em 2 conjuntos de fibras ou feixes conhecidos como bandas anteromedial (AM) e posterolateral (PL), sendo que a banda AM atua mais no sentido frente-trás e a banda PL mais no sentido rotacional.

A lesão ou ruptura do LCA normalmente ocorre em torções do joelho ao girar o corpo com o pé fixo no chão. Mas também pode ocorrer em chutes no ar (“em falso”), em divididas no futebol, em quedas e em acidentes de moto ou carro.

No Brasil, o futebol é o esporte onde mais ocorre a lesão do LCA em aproximadamente 80% das vezes. A ruptura do ligamento cruzado anterior também pode ocorrer em outros esportes como volêi, basquete, handebol, lutas, patins, ski e quedas de bicicleta ou em corridas.

No momento da ruptura do LCA, geralmente, o paciente sente estalo e dor no joelho que são seguidos de inchaço quase que imediato e dificuldade para mexer o joelho e para andar.

Com o passar de alguns dias ou algumas semanas, o paciente tem melhora da dor e do inchaço, já mexe o joelho e anda normalmente. Porém, começa a apresentar os sintomas de insegurança ou de falseios e até mesmo a sensação de que “algo sai do lugar”.

A lesão do ligamento cruzado anterior pode acontecer de forma isolada (ou seja, não há outras lesões ao mesmo tempo no joelho) ou combinada com lesões de menisco, de cartilagem e de ligamentos colaterais.

Diagnóstico

ligamento cruzado anterior 3O diagnóstico da lesão do LCA é feito após uma história de torção e de um bom exame físico realizado pelo ortopedista especialista em joelho que realiza diversos testes para demonstrar a frouxidão do ligamento cruzado anterior e a instabilidade articular.

O exame de Ressonância Nuclear Magnética confirma a lesão do LCA em casos duvidosos, bem como, demonstra possíveis lesões associadas, auxiliando no diagnóstico completo das lesões do joelho.

Radiografias (RX) do joelho podem auxiliar no diagnóstico de eventuais fraturas no joelho e também para avaliar o eixo do joelho e a presença de artrose, porém não mostram a lesão do LCA.

A ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA) geralmente é completa, mas podem ocorrer lesões parciais do LCA. Ou seja, apenas um dos feixes ou das “bandas” AM ou PL pode ser lesionado, enquanto o outro permanece íntegro.

Além disso, a lesão do LCA também pode acarretar em outras lesões no joelho devido à instabilidade. Lesões do menisco e da cartilagem do joelho são frequentemente associadas à lesão do LCA.

Tratamento

O tratamento da lesão do ligamento cruzado anterior é, na maioria das vezes, realizado por cirurgia do joelho devido à insegurança e à instabilidade sentida pelos pacientes e pelos atletas. Alguns poucos pacientes, normalmente sedentários e mais velhos, podem ser tratados sem cirurgia.

A cirurgia do joelho para reconstrução do ligamento cruzado anterior tem evoluído muito nos últimos anos e os resultados melhoraram significativamente se comparados às décadas de 80 e 90.

Melhor conhecimento da anatomia e da biomecânica do LCA, desenvolvimento de novos materiais bioabsorvíveis, uso da técnica de artroscopia do joelho (cirurgia por vídeo) e aperfeiçoamento da reabilitação (fisioterapia), que se inicia no dia seguinte à cirurgia, têm resultado em cirurgias do joelho mais precisas e em recuperação mais rápida do paciente com retorno mais breve aos esportes.

A cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior baseia-se na substituição do ligamento rompido por um fragmento (“enxerto”) de tendão do próprio joelho. Os tendões mais utilizados são os tendões do semitendinoso e grácil que fazem parte da pata-de-ganso (tendões flexores do joelho), o terço central do tendão patelar e o tendão do quadríceps.

Após a retirada do fragmento de tendão, é realizada a Cirurgia de Artroscopia (por vídeo) onde o cirurgião realiza mini-incisões (ou “furinhos”) na frente do joelho e coloca uma óptica que fornece imagens por uma microcâmera conectada a um aparelho de televisão. Esta técnica de artroscopia propicia grande precisão com pouca “agressão” cirúrgica, permitindo ao paciente uma recuperação mais rápida e menos dolorosa.

Ao visualizar toda a articulação do joelho pela televisão, o cirurgião confecciona túneis ósseos precisos nas inserções ósseas do LCA e por onde são passados os fragmentos de tendão. Após a colocação do novo ligamento cruzado anterior, ele é fixado junto ao osso com uso de pequenos parafusos ou pinos absorvíveis.

Atualmente, há vários tipos de técnicas na cirurgia de reconstrução do LCA, sendo que a mais atual é a técnica de reconstrução anatômica do LCA.

A cirurgia do joelho para LCA pode ser realizada por meio da reconstrução de uma só banda em lesões parciais e por reconstrução de dupla banda ou banda única em lesões completas do LCA. A fixação do novo LCA é realizada com a utilização de parafusos ou pinos absorvíveis na fixação do fragmento (“enxerto”) de tendão. O tipo de técnica a ser realizada deve ser definida individualmente para cada paciente pelo ortopedista especialista em joelho.

Além da reconstrução do LCA, a técnica de artroscopia auxilia no diagnóstico e no tratamento das lesões associadas como as rupturas de menisco e lesão de cartilagem.

Após a cirurgia, o paciente recebe alta do hospital no dia seguinte quando já inicia a reabilitação com fisioterapia e a andar com muletas. Normalmente, não há a necessidade de usar joelheiras e imobilizadores. O retorno às atividades diárias acontece em poucos dias e dirigir veículos é permitido entre 14 a 30 dias conforme a recuperação de cada paciente.

A fisioterapia deve ser realizada por 3 a 6 meses e é seguida de fortalecimento muscular.

O retorno aos esportes é uma das situações mais debatidas entre os ortopedistas especialistas em joelho e medicina esportiva. Geralmente, o atleta é orientado para o retorno gradual ao esporte quando há um bom condicionamento muscular e um bom equilíbrio do joelho, o que ocorre entre 6 a 9 meses, dependendo de cada paciente.

O ortopedista especialista em joelho deve orientar seu paciente sobre a lesão do LCA e indicar a melhor técnica de cirurgia do joelho para sua reconstrução.